Making of da estratégia de mídia digital no webdoc “Baco nos Trópicos”

  1. onde tudo (re)começou. Baco nos Trópicos é um projeto que escrevi há 5 anos atrás, época que produzi e dirigi a série de TV “Vinho & Algo Mais”, baseada em livro homônimo de Marcelo Copello, apresentador do programa, exibida de 2003 a 2005 nos vôos internacionais da Varig. 
  2. A idéia era mesclar vinho, cultura, arte, história, política, economia, gastronomia, sustentabilidade e turismo num programa que visitasse as vinícolas mundo, Realizamos 12 programas e gravamos em vinícolas do Uruguai, Portugal, Brasil e Itália. 
  3. Em Portugal, por exemplo, descobrimos que Setúbal era a cidade natal do poeta Bocage, assim, fizemos um programa sobre vinhos e que também contava um pouco a história deste famoso personagem da história!
  4. Share
    Vinho e Algo Mais – Navegando por Bocage
  5. Em 2005 o programa cobriu a Vinitaly, uma das maiores feiras de vinhos do Mundo, em Verona, Itália. Foi lá que pela 1a. vez tive contato com os vinhos da região do Vale de São Francisco.
  6. Share
  7. No mesmo ano estreamos em TV Aberta, com um formato um pouco diferente na na TVJB atingindo 1 ponto no Ibope.
  8. Share
  9. Depois disso me especializei em Cinema Etnográfico na Fiocruz e nesta linha narrativa está sendo desenvolvida esta nova série Transmedia Multiplataforma “Baco nos Trópicos” . A idéia é usar um olhar etnográfico para criar uma reportagem para o Canal Futura, desta vez usando narrativas pessoais de trabalhadoras do campo mostrando com a uva mudou seu dia-a-dia. As plataformas a serem usadas são:

    1) TV – através de versões do documentário de 15´,  25´ e 52´
    2) WEB – a web será a plataforma utilizada para  todo o material que não entrar no corte que vai ao ar nas TV – depoimentos, fotos, making of, pré-produção, etc….  e para interagir com os espectadores.
    3) Cinema – versão em full HD para exibição em salas de cinema e festivais de documentário
  10. 1. Criei uma conta no Google aonde irei armazenar e compartilhar documentos, emails, tabelas, gráficos, etc….
  11. e este gráfico de  com dados do IBGE – PERNAMBUCO – Lavoura Permanente – 2010, mostrando que a uva já superou em termos de valor de produção as duas maiores frutas antes produzidas no estado: banana e manga.
  12. Depois foi só incorporar o HTML do gráfico interativo no site e:
  13. 2. Criei um site através do storify – ferramenta que possibilita a organização da pesquisa e ao mesmo tempo a publicação do blog no site no wordpress, onde hospedei gratuitamente o Blog do documentário “Baco nos Trópicos”.  
  14. A escolha desta ferramenta é fundamental, pois ela atualiza automaticamente meu blog/site durante minha etapa de pesquisa e pré-produção a partir de um clique. Assim otimizei meu tempo, pois garanto que diariamente terei material “fresco” sendo postado, tendo que administrar apenas a Fan Page e suas eventuais enquetes.
  15. Mas já começo a vislumbrar quem posso chamar pra me ajudar a gerenciar as Ferramentas de Mídia Social !  Precisarei de pelo menos 2 pessoas: alguém da área técnica de proc de dados, que domine banco de dados e alguém ligado a marketing/publicidade que possa acompanhar as postagens e manter os sites atualizados, junto comigo. Assim, poderei me dedicar a outras tarefas. Porque um fator importante é manter sempre o site atualizado. Neste caso temos a atualizar:

    – Fan Page – 2 x semana : enquete, notícias, sorteios
    – Blog – diariamente pelo menos 1 postagem
    – Pinterest – diariamente pélo menos 1 foto
  16. Mas queria ousar mais no design. Resolvi usar o Joomla para customizar o design.Precisava de um servidor para usar o wordpress.org. Assim transferi o blog para o servidor da página da minha produtora Contrafluxo através de um aplicativo de exportar e importar do wordpress. Depois foi escolher o theme do joomla., baixar o pacote e instalar no meu servidor. Ainda estou alterando o desgin, mas o resultado preliminar já pode ser visto em: Baco nos Trópicos (www.contrafluxo.com.br)
  17. Share
  18. As outras ferramentas que escolhi são o Pinterest para imagens e o Northsocial. Para a campanha de crowdfunding estou na dúvida ainda entre escolher um site de sucesso nacional (kickstarter) ou de alcance mundial (IndieGoGo). Talvez faça duas campanhas diferentes (por. exemplo, campanha para legendagem do filme no IndieGoGo e para alugar um helicóptero para as gravações no Kickstarter).
  19. Hoje percebi que o grande chamariz da Fan Page é como você “vende” seu tema. Ou seja, o tema da página (seu nome, fotos, texto) deve ser atraente suficiente para fazer a pessoa curtir. Vou fazer uma tentativa: ao invés de Baco nos Trópicos vou criar algo tipo “Amo Vinhos do Nordeste” ou “Eu quero ir a uma degustação de Vinhos do Nordeste”  ou “Eu quero ganhar um vinho do Nordeste”. Ou melhor ainda, porque junta fãs de vinho e amigos: “Curta esta página e concorra a uma caixa de vinhos do Nordeste do Brasil e ainda apoie a produção do documentário “BACO NOS TRÓPICOS” . Esta última me parece mais correta para atrair o fã em potencial. Agora é motivá-lo a curtir e interagir. Pensei em usar “gamification” para ir envolvendo a comunidade no assunto em questão. Criar um game, com perguntas sobre vinho do nordeste. Perguntas semanais, ou, diárias (se eu tiver como ter alguém me ajudando a bolar as perguntas e monitorando as respostas). Será que consigo alterar a página que fiz no FB?
  20. “Gamification, the use of gameplay mechanics for non-game applications, is transforming online news into an engaging, social and fun activity. It’s quickly becoming the next frontier in web and mobile technology.” – fonte: How Gamification Can Make News Sites More Engaging
  21. O mais engraçado foi como percebi isso. Recebo o convite de uma amiga de FB para curtir a página “Bloco Gostosas de Trinta”. Isso mesmo, “Bloco Gostosas de Trinta”. A página é tão engraçada e bem-humorada que me fez pensar, o que atrai maior número de fãs….??? Como a criação é livre, existe página pra tudo… a idéia é juntar pessoas em uma causa comum.
  22. o post na fan page deve ser curto e direto. Postagens com menos de 80 caracteres recebem 66% a mais de engajamento.  ”
    Retail brand Wall Posts less than 80 characters in length receive 66% higher engagement than longer Posts. Very concise Posts – those between one and 40 characters – generate highest engagement. Only 5% of all retail brand Wall Posts are less than 40 characters in length, even though these receive 86% higher fan engagement.” – fonte: 10 Powerful Tips to Increase Fan Engagement on Facebook
  23. Share
  24. Aproveitei e criei também a Fan Page no Facebook onde irei colocar algumas enquetes, sorteios, etc… um espaço onde espero ter a maior interação com a comunidade do FB. 

    O próximo passo é configurar o design do Blog e da Fan Page para finalmente divulgá-las para as comunidades no dia 2 de Abril de 2010.
  25. Este projeto foi estrategicamente estruturado durante o curso 
     “Ferramentas Digitais para o Jornalismo de Interesse Público”, promovido desde 2010 pelo 
    O ICFJ (International Center for Journalists)  .  “O enfoque do programa é a apropriação crítica em torno das ferramentas digitais para a cobertura de temas de interesse público, que vão desde saneamento básico à educação e saúde. O programa inclui técnicas de busca refinada, mashups de mapas, processos de transparência, cartografias criativas, preparo de fotografias e vídeos para a postagem em sites e blogs, como criar um blog/wiki e apropriação dos espaços públicos como mídia. O objetivo principal do curso é oferecer aos jornalistas ferramentas e técnicas que possam contribuir não apenas para que estes profissionais abracem a “era digital”, mas que sejam capazes de utilizar estes novos conhecimentos em coberturas de temas diversos que vão desde saneamento e violência urbana até o rastreamento de contas públicas. E, assim, possam criar um projeto multimídia voltado para o interesse público, capaz de ter um forte e duradouro impacto social.” – 
    Este curso é patrocinado pela AT&T – ING. Vale citar que a AT&T financiou um curso nos mesmos moldes para jornalistas hispânicos no Centro de Jornalismo Digital, da Universidade de Guadalajara, no México, co-gerido pelo ICFJ.
  26. Agradeço aos orientadores do curso Maira Begalli e ao professor Fabiano Angélico pelas aulas e dicas.

Sobre baconostropicos

From the women land worker´s viewpoint a documentary on recent wine production in the tropics unique in the world with at least three annual harvests, held in the Valley of the São Francisco River that shows the impact of this agriculture growth in the economy and culture of such impoverished area,
Esse post foi publicado em Uncategorized. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s